16 de nov de 2010

Manha

Travo a língua
Limpo o traste
Lanço o trote

Leve pouso
Trato simples
Suave e forte

Boca fértil
Febrilmente
Enlouquece

Amanheço e reconheço:
Breve mote

12 de jul de 2010

Faísca

Há momentos em que
Um relance diz mais
Que um querer hesitativo

Encontresemeencontre
E a paz acabará em nossas vidas

Mas não é isso que a gente quer?

11 de jun de 2010

Desconhecer

Simples como folhear um bom livro

Surpresa calma de acaso bem gasto

Sensação dúbia de desejo de encontro

Solidão gostosa de um dia certo de chuva

23 de mai de 2010

Do pos te à l ama

Mover-se em infinitas direções
Alcançando os enlaces
Para assim, desvirtuar
Fruição do eterno aprendizado
Da pausa ao recomeço
influificar

17 de mai de 2010

Abrir o sorriso

Sem degustar o olhar

Perpetua, movimento ascendente
Tá?

justaftermidnighteighteendarkrainbowblue

Bordô
Carmesim
Escarlate
Malva
Maná
Açafrão
Grená
Terracota
Siena
Ocre
Oliva
Limão

CHORUS

(Adagio)
Solene
Dominando

(Allegro ma non troppo)
grimas
-
GravissimoAndanteModerato-

4 de mai de 2010

Faces

Tiro cego
Rosto quente
Mente ou vivo?
Já sinto!

27 de jan de 2010

ARVORÂMIDE

Infantilidade Imatura Dura com Propriedade
Quanto mais não sinto, me descubro burra
Um grito desesperado por afeto sussura sem calamidade
Apago o relance, retorno surda e mudo a prosa com um sorriso de lado